whos.amung.us

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Salve a salvia!!!!

De repente num mundo obcecado por uma pessoa em especial, me vi sentada a margem de um rio, aparentemente estava sozinha a me iludir com sentimentos capazes de derrotar até a minha própria alma. Me escute. - disse em voz alta: - Vejo que sempre está comigo e foge de mim como se não houvesse uma sina a cumprir por si mesma. O poder das tuas idéias andam trancadas nesse calabouço-mundo que criou com base a idéia de outrém. Julgas em você uma simples artesã, sem criações, nem dons, enquanto tens um rei perverso que anda bebendo e comendo da tua melhor comida, te deixando esquelética e introspectiva, sem coragem de impor tua vontade. Esse rei momo, anda satisfazendo as vontades dele, mas você em conformidade não anda desempenhando o teu papel de artesã. Você poderia com toda essa criatividade, com toda tua desenvoltura e filosofia, tratar de ver o que pode ser feito em prol a você e não pra desenvolver barreiras contra o rei ou contra alguém. Não duvides das verdadeiras intenções que o mago, o escaravelho e a medusa tem à tua moral. Tua riqueza é verdadeira, não é tesouro de quem insiste em querer o ouro de tolo, ou a falsa jóia, já eles tem poderes sobrenaturais e as riquezas que os elevam vai além da verdade que tens no peito. Sei que todos os artificios que usa são meros artificios e que teu coração andava povoado pelo trauma de aceitar a tuas chagas, e , agora com tais equivocos fora de area, a missão talvez xamãnica que ocorre é olhar tão virgemente a tua constância-alma e não mecanicamente, mas com muita simpatia inscrever tuas iniciais e gozar da plena harmonia que existe na sincronicidade dessas aparentes coincidências (basta sincronicidade pra olhar os acontecimentos como não-destinos). Tua alma cuspiu o fogo e agora suspira de alívio. O que anda acontecendo ao rei? Toda perversidade chega a algum lugar e o caminho que ele escolheu foi o do suicidio. Eu por sinal me alimento agora das suas comidas e não só isso, ainda alimento os que chegam até a minha casa, seja ele um pastor, uma bruxa ou um amor, todos serão igualmente privilegiados, e todos tem esse direito! Minha companhia é direito universal e prezo portanto uma divisão aleatória de palavras amigas, de gestos bonitos, de alimento e felicidade sincera...Salvei o mundo duma triste percepção de achar que a vida não vale a pena, de ver o precipicio tão grande engolir minhas esperanças, o mundo não é o que fiz dele, é o que fiz de mim: poderosa na humildade de ser tão grande e tão pequena artesã.

Um comentário:

Mariza disse...

Agradeça todos os dias por ter recebido de presente o DOM de lapidar palavras e com elas nos fazer crescer como ser Humano.
Obrigada e beijos