whos.amung.us

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Soneto da abstração

Eu poderia dizer que sou tua fã
E entrar escondida na tua casa
Conhecer tua toca, tua roupa, teu cheiro...
Eu poderia dizer pra você largar tua alma
Esconder na minha
E viver um castigo
Eu poderia me matar
Acabar com minha presença
Nesse mundo enganador
Mas pensar que posso perder amor
Posso ficar sem a dor
Prefiro então viver minha sina
Uma sina bandida
Que me alegra, me excita
Me faz ficar vermelha de raiva
Ou verde de esperança
Porque nessa vida, caro amigo
Só quem vive intensamente
Sabe o gosto que ela tem
Eu poderia dizer pra você largar tua idéia
Pra deixar de ser careta
Pra ir embora pra Las Vegas
Pra largar o futebol
Pra deixar de ler tanto besteirol
Pra deitar na varanda sozinho
Enquanto minha alma canta a morte
Poderia também te jogar pra fora do trem
E ainda gargalhar disso tudo
Mas meu bem isso é só imaginação
Não tem a ver com você, comigo
É somente uma abstração
Um soneto pra deixar o velho ir
E o novo desabrochar!

5 comentários:

Lincoln disse...

Foi vc que fez? ficou óóótimaaaa, parabéns, que o novo desabroche...

Nancy disse...

Obrigada!!!!

Taddeu Vargas disse...

Olá Nancy, parabéns! Gostei de tudo aqui, do site clean...da sinceridade, que transparece!
Gostei do estilo, da audácia semântica! Gostei de ti, menina romântica!
Vá em frente, tá sobrando talento.
Voltarei!
Abraço forte.

paty disse...

Nosa Nency que lindo esse poema. è seu???
bjssssss

Nancy disse...

É meu! rs