whos.amung.us

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Expansão III

Clara lampejos de pensamentos!!
Clara relíquia da Deusa Maia!!!
Clara exclamações sinceras.

Clara havia se banhado com a pureza dos seus sentimentos.
E se sentindo demasiadamente bela, voltou a ser amiga do espelho que estava encostado no canto mais escuro daquela mata. Viu então que havia recuperado todo seu brilho, toda sua paz.

O canto da chuva purifica minha alma
Enquanto clamo as forças mais poderosas
Divino seja teu nome
Oxalá!

Clara realmente se pressionara demais.
Ela sabia que aquela parte da história teria ferido todos seus sonhos palpáveis.
Mas ferida, cicatriza! Sempre sentimos que a força se vai com a agua do rio e o rio a leva pra muito longe. O longe é distante mas não o bastante para a fé.

Celebre teu descontentamento
Celebre tua paz...
Celebre o herói!

De repente um clarão cobriu o rosto de Clara e como um passe de mágica um libro estava aos seus pés. Ela pegou e leu:


Uma sinopse

Não existe livro ruim.
Existe crítica.
A crítica tem os dois lados.
O bem nem sempre é o que faz a diferença.
Na verdade, existe também a intenção, existe o ponto de vista.
E todo mundo luta pra defender o seu.
Uma coisa que me sinto bem é com a minha história, com seus picos alucinantes.
Bem? mal? Tudo tão relativo, como diriam tantos pensadores...
Meu bem é a espiritualidade, pois quando estou energizada, estou neutra...
A neutralidade é melhor do que estar somente bem.
A neutralidade tem uma cor fantástica
Tem um brilho selvagem e ao mesmo tempo terno.
Neutro.
Inexplicável.
Mas voltando a minha historia, ela conta uma vida aprendizado.
Agradeço a todo infinito.
Agradeço aos braços divinos envoltos em mim.
E a cada passo que dou, minha alma consegue captar o brilho das outras almas particularmente questionadoras como a minha.
A consciencia adormecida faz com que recuperemos a faculdade mental mais plena.
Porque na verdade ela está se despindo de toda matéria.
E a matéria só tem significado quando fazemos dela alma também.
Sinto o cheiro de sucesso no ar.
Sinto o cheiro de crianças brincando...se satisfazendo...
Sinto o cheiro de você, amor incessante.
Sinto o cheiro do meu principio.
Da carne.

Minha carne, ó Deus, quão putrefada!
Minha alma, ó Deus, quão abençoada!

Clara de repente sentiu um frio na espinha. Onde tinha já lido isso?

Clara sua alma suplica que guarde segredo, o segredo é o mistério de um rock cantado a algum tempo e a sinopse da tua vida está no seu espirito inquieto. Raios? Sim, te mostro o caminho na imagem do seu amor. a resposta que ele tanto procura está em você.

A sinopse ela mesma tinha escrito {Indagações a parte}
O livro contava a história de um homem que havia, a partir de algumas visões incoerentes, vislumbrar a clareza do seu espirito e penetrar na vida de Clara como um ente questionador sobre sua desordem mental. Ele sabia, ela não era mentalmente desorganizada, mas passara por um período assim, inclusive ele. Com aquele corpo esculpido e aquela face deliciosamente pintada especialmente para viver seu amor.

My girl. My girl? My girl!
Se me permite, contarei um segredo
Ao mundo, ao bêbado, ao desleixado de seus limites...
O mundo não precisa mesmo de limites para o amor

Neutralizei minhas idéias e fiz de você minha mais deliciosa parábola!

Nenhum comentário: